Síndrome do pânico, o que é e quais são seus sintomas?

Por incrível que pareça, a síndrome do pânico é um dos transtornos de ansiedade mais comum. Normalmente um ataque dura entre 5 e 10 minutos, mas em alguns casos mais graves, pode durar por horas. Venha saber mais sobre a síndrome do pânico.

By

Por incrível que pareça, a síndrome do pânico é um dos transtornos de ansiedade mais comum. Geralmente diagnosticado em pessoas que tem ataques de medo e pânico espontâneos e inesperados, os episódios de síndrome do pânico são marcados por crises quase inexplicáveis que podem ser acompanhadas de sintomas semelhantes a de um ataque cardíaco.

Como acontece um ataque de pânico?

Ele pode acontecer em qualquer lugar e a qualquer hora. Mesmo que não esteja em perigo, a pessoa sente um medo inexplicável e irracional, que gera grande desconforto e atinge seu pico em poucos minutos.

Normalmente um ataque dura entre 5 e 10 minutos, mas em alguns casos mais graves, pode durar por horas. Para a pessoa que está sofrendo o ataque a sensação é de estar tendo um derrame ou um ataque cardíaco.

Quais são os sintomas?           

1. Sensação de falta de ar
2. Dor no peito ou desconforto
3. Palpitações e acelerações cardíacas
4. Tremores ou estremecimentos
5. Sudorese
6. Náusea ou desconforto abdominal
7. Tontura ou sensação de desmaio
8. Medo de morrer
9. Calafrios ou calor em excesso
10. Medo de perder o controle

A síndrome do pânico inclui pelo menos 4 desses sintomas, então se sentir algum deles de maneira isolada, pode ser indicativo de outros problemas de saúde.

Se não for tratado, esse transtorno pode levar a fobias maiores, que interfiram de maneira mais intensa no cotidiano dos pacientes.

Como é feito o tratamento?

A síndrome do pânico pode ser tratada como outros transtornos de ansiedade. A maioria das pessoas encontram melhora com o processo de psicoterapia. Porém o tratamento e seus resultados podem variar de pessoa para pessoa, de acordo com o grau da doença ou até mesmo se o paciente já sofre de outros transtornos, como depressão e ansiedade.

O importante é procurar o profissional correto e fazer o tratamento de acordo com as orientações médicas.

Leave a Comment

Your email address will not be published.

You may also like