Bebês podem ter distúrbio do sono?

By

Um em cada dez bebês tem problemas sérios para dormir à noite, e assim maior risco de desenvolver distúrbios de sono quando crescerem, alerta uma pesquisa publicada na revista científica Pediatrics. A pesquisa contou com a participação de 359 bebês que começaram a participar deste estudo aos seis meses de vida e continuaram até os três anos de idade.

 

Parasoníase

Quase 40% dos bebês têm um distúrbio chamado parasoníase. A criança tem sono agitado e despertar confuso durante a madrugada, acompanhado de choro. Ela pode até ficar de pé no berço ou se sentar na cama. Muitas vezes, os pais acreditam que o pequeno acordou e o consola, coloca no colo e oferece a mamadeira. Isso pode virar um hábito e atrapalhar o ciclo natural do sono. O ideal, nesse caso, é interferir o mínimo possível.

 

Quais os principais sintomas de distúrbios do sono em bebês?

Os sinais de que o bebê tem distúrbios do sono podem variar muito. Mas alguns dos sinais mais frequentes de problemas são: ronco alto várias noites por semana, ter muitos pesadelos no meio da noite, e após ter suas necessidades atendidas ao acordar no meio da noite, como a mamada da madrugada ou a troca de fraldas, ainda demorar mais de 20 minutos para adormecer.

 

Bebês podem ser sonâmbulos?

O sonambulismo é uma parassonia infantil que abrange um estado alterado da consciência onde os estados de sono e vigília ocorrem ao mesmo tempo. Envolve atividade motora durante o sono, ou seja, a criança pode sentar-se no berço/cama, caminhar ou movimentar-se, sem acordar. É um erro acordar o sonâmbulo que pode se assustar.

 

A orientação neste caso é levar a criança de volta para a cama dela e tomar todos os cuidados para que o ambiente e a casa sejam seguros, trancando portas de saída para rua e da cozinha. Fechar janelas ou providenciar redes de proteção sempre é recomendado. É mais frequente em indivíduos que possuem histórico familiar de sonambulismo.

O que mais pode alterar a qualidade do sono da criança?

Os distúrbios respiratórios, causados, em especial, por um crescimento inadequado do tecido interno do nariz, a adenoide, que dificulta a passagem do ar. Isso leva a um sono todo interrompido. Crianças que têm esse problema costumam respirar mais pela boca do que pelo nariz. O tratamento, nesse caso, deve ser feito por um especialista.

 

Leave a Comment

Your email address will not be published.

You may also like